Programa que prevê a retirada da vacina contra Febre Aftosa em MS é discutido na Assembleia

Programa que prevê a retirada da vacina contra Febre Aftosa em MS é discutido na Assembleia

Postado em: 9 de maio de 2019

Programa que prevê a retirada da vacina contra Febre Aftosa em MS é discutido na Assembleia

Representantes da Semagro e Iagro estiveram na Assembleia Legislativa para discutir o Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) e as ações de responsabilidade do Estado de Mato Grosso do Sul, na última terça-feira, dia 7 de maio.

O tema foi debatido durante reunião da Comissão de Agricultura, Pecuária e Políticas Rural, Agrária e Pesqueira da Assembleia Legislativa, que é presidida pelo deputado Marcio Fernandes (MDB).

Juntamente com a equipe do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), servidores da Iagro formataram a apresentação das informações relativas as ações realizadas e as demandas ainda pendentes visando atender o Plano.

O diretor-presidente da Iagro, Luciano Chiochetta, fez uma explanação técnica sobre o plano. De acordo com o diretor, em 2018, o Brasil foi reconhecido como sendo um país livre de aftosa com vacinação, mas que agora é necessário um progresso na área. “Precisamos avançar no status para sermos livre de febre aftosa sem vacinação. Existe uma valorização, no mercado internacional, da carne produzida sem a vacina”, disse.

Segundo o diretor, Mato Grosso do Sul necessita cumprir 102 ações até 2021 para receber o reconhecimento de estado livre da aftosa sem vacinação. Foram destacadas algumas das atividades já realizadas, entre elas fórum estadual sobre o assunto, criação de comitê gestor e proposta para contratação de servidores.

Representante do Mapa

O superintendente do Mapa em Mato Grosso do Sul, Celso de Souza Martins, refletiu sobre a correta execução do plano sem adiar os prazos. “Se não cumprimos o calendário teremos perda de mercado local, depreciação de preço e migração do setor industrial”, ponderou. Para ele, MS possui um desafio a mais em relação aos outros estados brasileiros. “Temos uma condição mais frágil que os demais no que diz respeito a controle e fiscalização da sanidade animal e vegetal devido à complexidade de nossas fronteiras”, pontuou.

Valorização dos profissionais

O presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária de Mato Grosso do Sul (CRMV-MS), Rodrigo Bordin Piva, falou da importância da valorização dos profissionais. “Nós veterinários estamos na ponta, se não há profissionais suficientes isso traz consequências tributárias para o Estado inteiro. Investir nos profissionais é um dinheiro bem investido”, defendeu.

               

 

Apoio do legislativo

O secretário da Semagro, Jaime Verruck, enalteceu o trabalho das equipes da Iagro e do Ministério e reforçou o compromisso do governo estadual com o serviço de sanidade, lembrando da importância dessa atividade para a economia do Estado.

Ele ainda destacou a participação da Assembleia nas ações para que o Estado seja livre da vacinação, como a aprovação do projeto de lei que instituiu o PROACAP (Programa de Atualização do Cadastro da Agropecuária e do Estoque de Animais Bovinos e Bubalinos) e o acompanhamento por meio da Comissão de Agricultura, Pecuária e Políticas Rural, Agrária e Pesqueira.

“É preciso que a Comissão nos acompanhe permanentemente. Os deputados são ferramentas fundamentais para levar o assunto à população, para que todos encampem essa proposta que é prioridade total”, afirmou.

Para o diretor-presidente da Iagro, Luciano Chiochetta, o sucesso das ações depende da interação entre Estado, setor produtivo, setor privado, sociedade em geral e do comprometimento político. “Deve haver mudanças em leis para termos uma boa gestão e execução do plano”, enfatizou.

O deputado Marcio falou do compromisso com o setor produtivo e em especial com a agência e as atividades relativas à retirada da vacinação, reforçando que deve manter conversações com o governador Reinaldo para reforçar a importância de dar celeridade às ações.

Com informações da Assembleia Legislativa e da Semagro

Foto Capa: Wagner Guimarães/ALMS

Foto Interna: Semagro