Para Sigeasfi, retorno da jornada de 8 horas é injusto

Para Sigeasfi, retorno da jornada de 8 horas é injusto

Postado em: 14 de março de 2019

Para Sigeasfi, retorno da jornada de 8 horas é injusto

Na última segunda-feira, dia 11 de março, a presidente do Sigeasfi-MS, Líliam Kohler, e o vice-presidente, Agostinho Pereira Giacomelli, participaram da reunião com o governo do Estado para discutir a restituição da jornada normal de trabalho (8 horas/dia) e o Plano de Desligamento Voluntário (PDV).

Para a presidente do sindicato, o retorno da jornada não é justo, pois nada ainda foi feito sobre os ajustes dos salários.

“O retorno à jornada integral não agrada os servidores, pois ainda nada foi feito em relação os ajustes de salários que encontram-se defasados há  muitos anos, e nem melhoria nas condições de trabalho do servidor, principalmente na Iagro”, afirmou.

Segundo Líliam, na reunião, o secretário de Estado de Administração e Desburocratização, Roberto Hashioka, informou que o governo do Estado está  numa situação difícil e não tem como fazer diferente. “Na reunião, ele disse ‘Não se pode fazer uma omelete sem quebrar os ovos’. Além disso, ele disse que o PDV vem para aquele servidor que não se adequar à nova jornada de trabalho “, informou Líliam.

Nas reuniões, cada sindicato ponderou sobre as mudanças na categoria que representa. Agora, o Executivo vai avaliar a demanda dos servidores, ficando de dar uma resposta até sexta-feira, dia 15.

O governo do Estado pretende finalizar, ainda esta semana, a minuta do projeto de lei do PDV, para que possa ser encaminhado na segunda-feira aos deputados estaduais.

Por: Assessoria de Comunicação do Sigeasfi-MS