Índice de imunização contra aftosa em MS contribui para metas de retirada da vacina até 2023

Índice de imunização contra aftosa em MS contribui para metas de retirada da vacina até 2023

Postado em: 29 de junho de 2017

Índice de imunização contra aftosa em MS contribui para metas de retirada da vacina até 2023

O prazo para registro da vacinação em diversos municípios das três regiões sanitárias de Mato Grosso do Sul segue até 30 de junho. O relatório parcial emitido pela Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) já indica que os números vão atingir o mesmo nível de excelência apresentado nos últimos anos.

Dos 20.849.268 animais envolvidos nesta campanha, 98,53% da região do Planalto, 76,97% da região do Pantanal e 86,24% dos animais da Zona de Fronteira já foram vacinados e tiveram a vacinação registrada no sistema da Iagro.

Considerando que 1.199.066 doses da vacina constam no sistema como já tendo sido adquiridas junto às empresas, o diretor presidente da Agência, Luciano Chiochetta, acredita que até o encerramento do prazo de registro, os pecuaristas devem cumprir com sua obrigação, ajudando Mato Grosso do Sul a figurar mais uma vez entre os três Estados com maior eficiência na prevenção contra febre aftosa, com números superiores a 99% de alcance.

Para Luciano, a parceria entre o Estado e os pecuaristas tem influenciado positivamente nas discussões para evolução do status do Estado e, em consequência, na retirada da obrigatoriedade da vacinação, que essa semana ganhou ainda mais força com uma medida adotada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para redução da dose atual da vacina de 5 ml (considerada reforçada) para 2 ml.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, a medida faz parte das ações que preveem a retirada da vacinação do País entre 2019 e 2023, quando o Brasil deverá ser reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como livre da doença sem vacinação.

“A excelência do trabalho da Iagro, aliada à conscientização do pecuarista, que já assimilou a importância do cumprimento do calendário de vacinação para manter a saúde do rebanho, fazem a diferença e nos mantém entre os Estados com maior eficiência vacinal, ajudando na evolução do status no País todo”, finalizou.

Por: Assessoria de Comunicação Iagro – Foto: Divulgação/Iagro