Iagro emite nota técnica sobre o Pequeno Besouro das Colmeias em Mato Grosso do Sul

Iagro emite nota técnica sobre o Pequeno Besouro das Colmeias em Mato Grosso do Sul

Postado em: 8 de julho de 2019

Iagro emite nota técnica sobre o Pequeno Besouro das Colmeias em Mato Grosso do Sul

A Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal de Mato Grosso do Sul (Iagro) emitiu nota técnica tratando da ocorrência de mais 4 casos de Aethina tumida em Mato Grosso do Sul e explicando as medidas adotadas. A nota foi emitida na quinta-feira, dia 04 de julho.

Segundo a nota, as novas ocorrências do Pequeno Besouro das Colmeias – PBC (Aethina tumida) foram confirmadas por meio de exame de Identificação de pragas por DNA barcoding e Identificação morfológica do pequeno-besouro-das-colmeias (Aethina tumida Murray), conforme laudo oficial emitido pelo Laboratório Nacional Agropecuário (Lanagro/MG), pertencente ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Foram quatro as amostras (besouros) coletadas no município de Chapadão do Sul em 27 e 28 de maio de 2019 e todas resultaram confirmatórias: Aethina tumida.

Aethina tumida é originária da África subsaariana e chegou à América pelos Estados Unidos. Em outubro de 2007, foi registrado o primeiro caso em países da América Latina, mais precisamente no México. Conforme informação do Mapa, o Pequeno Besouro das Colmeias foi oficialmente registrado no Brasil em 2016.

De acordo com a nota técnica Nº 3/2016/CIEP/DSA/SDA/GM/MAPA, a Aethina tumida em condições favoráveis de clima e susceptibilidade das colmeias, como enxames fracos, pode causar danos e prejuízos. Na fase larval, o Pequeno Besouro das Colmeias (PBC) se alimenta dos produtos das colmeias (mel, favos de cria e pólen), afetando a estrutura e organização do enxame. O besouro pode viver na natureza e sobreviver até duas semanas sem comer. Pode voar até 13 quilômetros de distância de seu ninho, sendo capaz de se dispersar rapidamente e invadir novas colmeias.

A Iagro, no intuito de minimizar os prejuízos aos apicultores, seguirá as orientações da Nota Técnica Nº 10/2018/DSE/CAT/DSA/CGSA/SDA/MAPA/SDA/MAPA, que prescreve medidas para o controle do Pequeno Besouro das Colmeias – PBC (Aethina tumida). O órgão recomenda que sejam adotadas boas práticas de manejo apícola, como raspagem do acúmulo de cera e própolis, substituição de rainhas, favos velhos e quarentena de novas colmeias.

A agência ressalta ainda a necessidade de manter os enxames fortes e inspecionados com frequência, e que evitem o trânsito de colmeias ou suas partes, povoadas ou não, de uma área de ocorrência para uma área sem registro do besouro. Conforme alerta da Iagro, os que migrarem com suas colmeias para os municípios de Três Lagoas e Chapadão do Sul estão sujeitos a infestarem suas colmeias com o PBC.

Texto: Kelly Ventorim/Assessoria de Imprensa Semagro

Foto/Arte: Semagro