Feserp e sindicatos reúnem-se com a equipe de governo para discutir reformas

Feserp e sindicatos reúnem-se com a equipe de governo para discutir reformas

Postado em: 14 de fevereiro de 2017

Feserp e sindicatos reúnem-se com a equipe de governo para discutir reformas

Nessa segunda-feira (13), o Sigeasfi-MS e os demais sindicatos ligados à Feserp/MS reuniram-se com os secretário de Governo, Eduardo Riedel, de Administração, Carlos Alberto Assis, e adjunto de Administração, Édio Viégas. Esse encontro foi a pedido dos próprios sindicatos, uma vez que o governo do Estado vem constantemente anunciando as dificuldades financeiras e desequilíbrio das contas públicas, além das reformas administrativas e previdenciárias que não foram discutidas com as entidades sindicais e os servidores.

Abaixo, os assuntos que foram discutidos e a resposta do Executivo sobre cada um deles:

– Reajuste salarial em 2017

A discussão de aumento salarial só vai iniciar um mês antes da data-base dos servidores, que é em maio. Mas os representantes do governo informaram que por enquanto ainda há equilíbrio das finanças para o pagamento dos salários em dia, que estão empenhados em discutir a data-base, mas o foco principal nessa conjuntura será obter condições financeiras para continuar pagando os salários em dia e, o que ameaçar esse equilíbrio, o governo não vai conceder.

De acordo com o secretário Carlos Alberto Assis, não é possível dar nenhuma definição no momento, já que que a situação em que o Brasil atravessa , assim como os Estados, é preocupante.

– Reforma Administrativa

Segundo os secretários, a reforma não vai extinguir nenhuma função de Estado. Eles citaram uma redução brusca na arrecadação de ICMS do gás, que representa 20% do total recolhido com o imposto no Estado e que no ano passado registrou queda de R$ 720 milhões, o que torna a reforma administrativa mais rigorosa, com a diminuição de contratos, corte de comissionados, secretarias que irão se fundir para otimizar os recursos, dentre outros ajustes.

O secretário Eduardo Riedel reafirmou que o Estado finaliza agora a reforma administrativa que será enviada para a Assembleia Legislativa essa semana, com redução de secretarias e de cargos comissionados, e a previsão de teto de gastos. “Vamos ter que cortar, mas não vamos extinguir nenhuma função ou serviço”, tranquilizou.

– Estatuto do Servidor Estadual

Sobre a alterações na Lei 1.102/90, o secretário Carlos Alberto Assis comentou que as discussões sobre sua alteração serão avançadas junto com os sindicatos.

– Relógio de ponto

Os sindicatos questionaram os secretários estaduais da obrigação de implantar o relógio de ponto neste momento em que o governo ratifica a necessidade de economia. Conforme o secretário Carlos Alberto Assis, foi feito um levantamento minucioso para chegar à conclusão de que a implantação do relógio de ponto trará economia para o Estado. Ele citou como exemplo um servidor que falta e hoje não é descontado o dia de sua ausência, mas com o relógio de ponto, essa falta não abonada será transformada em receitas para o Estado.

Todas as questões que foram discutidas nessa reunião,serão rediscutidas no Fórum Dialoga, marcado para o dia 22 com a presença de outros sindicatos.

“Os sindicatos participaram dessa primeira reunião de muitas outras que serão realizadas em 2017 e, mais do que nunca, devemos estar unidos e preparados para muita luta, pois o prognóstico não é nada bom. A luta não poderá se restringir somente aos sindicatos, mas deverá ser estendida a todas as categorias de servidores. Nos próximos dias, estaremos reunidos com o Fórum dos Servidores para delimitar estratégias de aglutinar todos os servidores para lutar também pelos ajustes na reforma da presidência”, comentou a presidente do Sigeasfi, Luiza Coutinho.

reuniao-gov-sigeasfi1

Por: Assessoria de Comunicação do Sigeasfi-MS