Equipes da Iagro vistoriam 240 propriedades durante ações de controle da raiva em MS

Equipes da Iagro vistoriam 240 propriedades durante ações de controle da raiva em MS

Postado em: 22 de agosto de 2018

Equipes da Iagro vistoriam 240 propriedades durante ações de controle da raiva em MS

Só nos últimos 2 meses, equipes da Iagro realizaram ações de Controle da Raiva em 240 propriedades rurais de Mato Grosso do Sul. A medida faz parte do trabalho de prevenção, que foi intensificado diante dos últimos casos da doença no Estado. De janeiro a julho deste ano, foram identificados 18 focos de raiva em 12 municípios.

O trabalho é coordenado pelo fiscal estadual agropecuário, Fabio Shiroma de Araújo, que é da Coordenação Estadual dos Programas Nacional de Controle da Raiva dos Herbívoros (PNCRH) e de Prevenção e Vigilância da Encefalopatia Espongiforme Bovina (/PNEEB).

Gráfico 1. Focos de Raiva nos últimos 16 anos.

Nos municípios de Caarapó, Amambai, Juti e nas margens do Rio Amambai e seus afluentes, foi realizada a vigilância em 153 propriedades rurais com 44 abrigos vistoriados e captura e controle de 202 morcegos hematófagos.

Gráfico 2. Morcegos hematófagos capturados e tratados

A equipe também percorreu 47 propriedades rurais de Dourados, Itaporã e Maracaju, nas margens do Rio Santa Maria e seus afluentes. Foram 18 abrigos vistoriados, com captura e controle de 45 morcegos hematófagos.

Em outra vigilância que incluiu 40 propriedades rurais dos municípios de Jateí e Naviraí, na região do Parque Estadual das Várzeas do Ivinhema, foram capturados e controlados 24 morcegos hematófagos encontrados em 7 abrigos vistoriados.

Gráfico 3. Vistorias de Abrigos e Capturas 

 

Gráfico 4. Herbívoros vacinados

Conscientização

Além das vistorias, captura e controle de morcegos, a Coordenação do Programa de Controle da Raiva buscou conscientizar a população sobre a ocorrência da Raiva e a ações para prevenção de novos casos, por meio de entrevistas concedidas a rádios e jornais. Também foi realizada uma palestra na Câmara Municipal de Coronel Sapucaia, que contou com a participação de 33 produtores rurais.

Riscos

A raiva é uma enfermidade que acomete o Sistema Nervoso Central (SNC) dos mamíferos, inclusive o Homem, e a letalidade é próxima a 100%. É importante ressaltar que o período de incubação (ou seja, tempo que o animal foi exposto ao vírus até o aparecimento dos sinais clínicos) é relativamente longo, varia em média de 45 a 60 dias.

A resposta imunológica à vacinação inicia-se em média com 7 a 10 dias. Por isso, é comum o aparecimento de animais que receberam a vacinação e vieram a óbito com a Raiva. O risco permanece até que todos os animais estejam protegidos pela vacina.

Orientação

Sempre que o produtor rural tiver conhecimento de animais com sintomatologia nervosa e/ou presença de possíveis abrigos na região, a orientação é não manusear o animal e comunicar a Unidade Local da Iagro mais próxima.

Se alguém entrar em contato com animal com suspeita de Raiva ou agredido por cães, gatos ou morcegos, procurar a Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua residência.

Por: Assessoria de Comunicação Sigeasfi