Em reunião com deputado Marun, sindicalistas manifestam posição contrária à Reforma da Previdência

Em reunião com deputado Marun, sindicalistas manifestam posição contrária à Reforma da Previdência

Postado em: 6 de março de 2017

Em reunião com deputado Marun, sindicalistas manifestam posição contrária à Reforma da Previdência

Na última sexta-feira (03), dirigentes sindicais estiveram em reunião com o deputado federal Carlos Marun, no intuito de discutir a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 287/16), uma vez que o deputado é presidente da Comissão Especial da Reforma da Previdência na Câmara dos Deputados.

Vários pontos negativos da PEC foram apresentados ao deputado, dentre eles, a tentativa de aprovação da referida proposta sem uma ampla discussão com os movimentos sindicais que representam os trabalhadores. Em vários momentos, Carlos Marun disse ser totalmente a favor da reforma da previdência, alegando como principal fator de peso: o déficit da previdência.

Em determinado momento do encontro, o deputado federal trocou duras palavras com o representante do SINTSS-MS (Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social de Mato Grosso do Sul), Eder Rodrigues de Lima, que resultou na expulsão do colega sindicalista pelo deputado.

As entidades sindicais, entre elas o Sigeasfi, se solidarizam ao colega de luta, pois o deputado não soube se comportar diante do contraditório, usando de sua autoridade para intimidar o sindicalista, que estava somente expressando o sentimento de indignação diante de tanta frieza com os representantes dos trabalhadores que ajudaram a eleger o deputado.

Para a presidente do Sigeasfi, Luiza Coutinho, a reunião foi válida para que o deputado pudesse ouvir os representantes dos trabalhadores e ter conhecimento de que os sindicados vão lutar para que esse projeto danoso não dê continuidade da forma como se encontra: “Os sindicatos estão unidos nesse movimento. A crise do país deve-se graças à gestão incompetente de nossos dirigentes e querem que nós trabalhadores assumimos a conta dessa irresponsabilidade, penalizando com uma aposentadoria surreal que só servirá para financiar cada vez mais a corrupção desse país”, ressaltou Luiza.

Na oportunidade, o Fórum dos Servidores entregou ao deputado um ofício contendo as reivindicações das categorias, manifestando posição contrária à PEC 287 sem ampla discussão com toda a massa trabalhadora e com a sociedade. “Resta saber se o deputado levará em conta os questionamentos ali documentados, visto que disse avaliar o documento com a Comissão Especial”, acrescentou Luiza.

O Fórum dos Servidores de MS representa mais de 40 mil servidores e uma série de mobilizações será promovida no Estado, caso não haja alterações na PEC.