Em MS, Governo do Estado treina responsáveis técnicos de revendas sobre Sistema de controle de agrotóxicos

Em MS, Governo do Estado treina responsáveis técnicos de revendas sobre Sistema de controle de agrotóxicos

Postado em: 23 de novembro de 2018

Em MS, Governo do Estado treina responsáveis técnicos de revendas sobre Sistema de controle de agrotóxicos

A Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal de Mato Grosso do Sul (Iagro) reuniu nesta quinta (22) e sexta-feira (23), no auditório do CREA-MS, na capital, mais de 400 profissionais que atuam como responsáveis técnicos dos estabelecimentos registrados para comercialização ou armazenamento de agrotóxicos em Mato Grosso do Sul, para treinamento da operação do módulo de revenda, recém-criado dentro do Sistema E-Saniagro. Por esta plataforma, os usuários poderão movimentar mais de 1.300 produtos cadastrados.

Em parceria com o CREA/MS, INPEV e ANDAV, através do trabalho realizado pela Divisão de Defesa Sanitária Vegetal (DDSV) em conjunto com a Sefaz/SGI, os profissionais recebem instruções detalhadas para operação do módulo de controle de agrotóxicos com palestra do Engenheiro Agrônomo Carlos Eduardo Bittencourt Cardozo, tiveram boa parte de suas dúvidas dirimidas em debate ao final da palestra e durante todo o evento que teve a participação de Hugo Nantes (SGI) e Caroline Sakamoto – chefe da Divisão de tecnologia da Informação da Iagro.

Outras três palestras foram apresentadas, com o Engenheiro Agrônomo Jason Brais Benites de Oliveira, do Crea-MS, tratando sobre responsabilidade técnica, com o Engenheiro Agrônomo Hamilton Flandoli (coordenador regional de operações da InpEV – Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias) que contextualiza as ações do Instituto na rastreabilidade dos agrotóxicos e com o Engenheiro Agrônomo e Engenheiro de Segurança do trabalho, Armando Cezar Sugawara, coordenador técnico da ANDAV, que coloca em debate a importância do Associativismo como fomentador das boas práticas no agronegócio.

Hamilton Flandoli (coordenador regional de operações da InpEV – Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias)Segundo o Chefe da Divisão de Defesa Sanitária Vegetal (DDSV), Filipe Portocarrero, o aumento das demandas da sociedade envolvendo o tema ‘agrotóxicos’, deram início a um trabalho que associado a reuniões realizadas com o Ministério Público Estadual e o CREA/MS, deram origem ao projeto de elaboração de um sistema informatizado no qual fosse possível identificar a movimentação de agrotóxicos em todas suas etapas na cadeia econômica (Indústrias-Revendas-Usuários-Devolução e Destinação final).

“Assim, foi desenvolvido inicialmente o Módulo de Controle de Cadastro de Agrotóxicos de forma integrada com o sistema de Receituário Agronômico eletrônico do CREA/MS. A integração permitiu diminuir erros de lançamento das receitas e o acesso dos profissionais a um sistema de cadastro completa e em constante atualização. Essa troca de informações foi possível graças a um termo de cooperação firmado entre as duas instituições”, explicou.

Numa segunda etapa, expandiu-se o banco de dados ao Módulo de Controle de Estoque buscando modernizar o controle das informações relativos aos agrotóxicos que entram no Estado, ao mesmo tempo em que se obtém informações mais precisas quanto à devolução de embalagens.

Segundo explicou o Diretor Presidente da Iagro, Luciano Chiochetta, esse trabalho reúne informações estratégicas, e alinha a Agência aos conceitos modernos de BI (Business Intelligence), tornando a fiscalização mais inteligente e eficiente, otimizando inclusive os recursos humanos e materiais. “Os relatórios mensais e lançamentos de informações de embalagens (MIC-EAG) que antes tinham que ser lançados mensalmente e apresentados à Iagro passam a ser gerados automaticamente pelo sistema. Com isso o comerciante ganha maior transparência em suas operações e o nosso trabalho de fiscalização ganha em dinamismo e eficiência”.

Em breve, segundo Luciano será disponibilizado o uso do sistema para estabelecimentos de outros Estados que comercializem agrotóxicos para produtores de Mato Grosso do Sul. Na etapa que segue a equipe deve finalizar o Módulo de Registro online de estabelecimentos, que eliminará a necessidade de envio físico de documentação. “A grande vantagem de se utilizar o mesmo sistema para os diversos processos e atividades da Iagro é a possibilidade de integração de informações entre os módulos e integração destes com sistemas externos”.

 

Luís Rogério de Oliveira, da Cooperativa Agrícola de Campo Grande (Coop Grande), que participou do treinamento nesta quinta-feira, falou da importância da iniciativa da Iagro em reunir os profissionais para o treinamento, destacando a oportunidade para o esclarecimento de dúvidas sobre o sistema, fundamental para garantir o repasse de informações ao produtor com o devido respaldo. O Engenheiro Agrônomo lembrou da importância de que se ofereça cada vez mais transparência no trato com um produto que é tema de tantas polêmicas e motivo de preocupação para toda cadeia. “É um passo importante que o Governo do Estado dá, quando nos chama a responsabilidade para, juntos, trabalharmos um sistema que terá seu aperfeiçoamento baseado nas demandas que gerarmos com sua utilização correta”. Completou, lembrando da necessidade que a inserção de dados no sistema se torne hábito entre os colegas.

Lucas, analista de negócios da Coamo Agroindustrial Cooperativa, elogiou o interesse do Governo do Estado na modernização dos sistemas, a forma como foram envolvidos os profissionais que já no treinamento puderam sugerir caminhos para integração das plataformas, destacando ser essa integração uma das grandes preocupações dos profissionais ligados à área de tecnologia da informação, como é o caso dele. O próximo desafio, segundo Lucas, para evolução da plataforma é uma maior automatização para inserção da movimentação de produtos. “Nós temos no hall com esse tipo de sistema, trabalhando no Paraná e em Santa Catarina e dessa forma nos colocamos a disposição da Iagro para auxiliar nos avanços que o sistema demanda”.

O Superintendente do CREA/MS, Altamiro Barbosa, comentou que a integração entre o Conselho, os órgãos de Governo e as revendas se dá pensando no crescimento do agronegócio do Estado, na segurança alimentar e na oferta de produtos livres de contaminações que é uma preocupação dos consumidores no mundo todo.

Altamiro destacou a necessidade do constante aperfeiçoamento dos profissionais enaltecendo a iniciativa do Governo do Estado, que através da Iagro e parceiros garantiu espaço para treinamento e discussão de ajustes de um sistema, que, segundo ele, marca um novo tempo para o setor.

Programação

Nessa quinta (22), a capacitação atendeu profissionais dos municípios de Aquidauana, Campo Grande, Bandeirantes, Ribas do Rio Pardo, Terenos, Três Lagoas, Bataguassu, Brasilândia, Paranaíba, Chapadão do Sul, Cassilândia, Costa Rica, Inocência, Paraiso das Águas, Coxim, Camapuã, Pedro Gomes, Rio Verde de Mato Grosso, São Gabriel do Oeste, Sonora, Nova Alvorada do Sul, Sidrolândia.

Nesta sexta-feira (23) foi a vez dos profissionais de Ponta Porã, Amambai, Antônio João, Aral Moreira, Coronel Sapucaia, Laguna Carapã, Sete Quedas, Tacuru, Dourados, Caarapó, Douradina, Fátima do Sul, Itaporã, Maracaju, Rio Brilhante, Jardim, Bela Vista, Bonito, Guia Lopes da Laguna, Nova Andradina, Deodápolis, Ivinhema, Naviraí, Eldorado, Iguatemi, Itaquiraí, Mundo Novo.

Sistema e-Saniago

O sistema e-Saniagro é um módulo dentro do GAP/MS (Gestão de Aplicativos Web de Mato Grosso do Sul) que foi utilizado inicialmente pela Iagro na Defesa Sanitária Animal para controle de estoque de rebanhos e de vacinas e para emissão de documentos eletrônicos como a GTA. Com a evolução do sistema, foram sendo incorporados vários processos à sua estrutura, envolvendo a Defesa Sanitária Vegetal, entre eles: o Módulo de Relatórios de Vigilância Sanitária; Módulo de Controle do Cadastro de Agrotóxicos; Vazio Sanitário da Soja/Cadastro de Plantio; e o Módulo de Auto de Infração e Multa.

Texto e foto: Kelly Ventorim/ Assessoria de Imprensa Iagro