Carta aberta à população: PLP 257/16 pode extinguir serviço público no País

Carta aberta à população: PLP 257/16 pode extinguir serviço público no País

Postado em: 28 de julho de 2016

Carta aberta à população: PLP 257/16 pode extinguir serviço público no País

Considerando as graves consequências negativas ao serviço público em caso de aprovação do Projeto de Lei Complementar – PLP nº 257/2016, que sob o pretexto de se renegociar a dívida dos Estados com a União impõe severas restrições orçamentárias a todos os Órgãos Públicos, com resultados devastadores aos serviços prestados à população, o FÓRUM DE SERVIDORES PÚBLICOS, vem a público manifestar sua discordância com os termos do projeto que ocasionam prejuízos diretos ao atendimento da população.

A aprovação do projeto em seu conteúdo original ocasionará a proibição de contratação de novos servidores por meio de concursos públicos além da possível demissão de milhares de servidores que hoje prestam relevantes serviços a toda a população, diante da modificação a Lei de Responsabilidade Fiscal, fixando-se rigorosos limites, que por serem impraticáveis, provocarão perdas em áreas essenciais como saúde, segurança, educação e justiça.

Ademais, pode praticamente extinguir indiretamente órgãos vitais como a Defensoria Pública e Ministério Público, ao se eliminar quase a totalidade de seu quadro de pessoal, por conta das novas regras orçamentárias. O projeto ainda veta os Estados de instituírem leis que concedam benefícios fiscais para o ingresso de empresas, o que certamente irá aumentar ainda mais a retração econômica no país.

O PLP tramita em regime de urgência, previsto para votação na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF), no dia 1º de agosto, inviabilizando qualquer debate aprofundado ou sugestão de melhorias acerca de seu relevante teor. Por isso, convocamos toda a sociedade para que seja contrária a esse forte ataque e junte-se à mobilização.

FÓRUM DOS SERVIDORES PÚBLICOS DE MATO GROSSO DO SUL

Veja vídeo sobre a reunião do Fórum dos Servidores em que detalha efeitos devastadores do PLP 257/16. O Sigeasfi-MS participou deste encontro: