Brasil já colheu 65% das lavouras de soja, estima AgRural

Brasil já colheu 65% das lavouras de soja, estima AgRural

Postado em: 26 de março de 2018

Brasil já colheu 65% das lavouras de soja, estima AgRural

A colheita da safra de soja 2017/2018 chegou a 65% da área nesta semana, de acordo com as estimativas da consultoria AgRural.

O trabalho de campo avançou sete pontos percentuais em relação à semana passada, mas permanece atrasado em relação ao ano agrícola 2016/2017, quando, nessa mesma época, estava em 68%. A média de cinco anos é de 62%.

Conforma a nota da consultoria, o maior avanço, de 12 pontos percentuais, foi registrado em Mato Grosso do Sul. Com isso, o Estado assumiu a dianteira na colheita da atual safra, que chegou a 98% da área reservada para a cultura. Depois, aparecem Mato Grosso, com 96% colhidos, e Goiás, com 89%.

Nos demais estados, a colheita chegou a 5% no Rio Grande do Sul, 23% em Santa Catarina, 87% em São Paulo, 67% em Minas Gerais, 20% na Bahia, 40% no Maranhão, 45% no Tocantins, 25% no Piauí, 24% no Pará e 96% em Rondônia.

Safra recorde

A consultoria AgRural revisou suas estimativas para a safra de soja brasileira no ciclo 2017/2018. A expectativa da empresa é que a produção da oleaginosa no país chegue a 117,9 milhões de toneladas, contra 116,2 milhões de toneladas estimada em fevereiro.

A área, estável em relação a fevereiro e 2,4% maior que a da safra passada, é de 34,7 milhões de hectares. A produtividade, estimada em 55,8 sacas por hectare no mês passado, subiu para 56,6 sacas – acima das 56,1 sacas de 2016/2017 e, portanto, novo recorde para o país.

Segundo a empresa, essa estimativa se deve ao aumento de produtividade em diversos estados, com destaque para o Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia (Matopiba). Com chuvas muito favoráveis ao longo de fevereiro, a produtividade dos quatro estados foi elevada para níveis recordes, finalmente superando as marcas feitas em 2007/2008 no Piauí, em 2010/2011 na Bahia e no Maranhão e em 2011/2012 no Tocantins. Os grandes volumes de chuva previstos para a região na primeira quinzena de março, entretanto, preocupam.

Também houve ajustes para cima em relação ao mês passado nos três estados do Centro-Oeste (todos recordes) e em São Paulo e Minas Gerais (ambos com recorde). Em Santa Catarina e Rondônia, as produtividades de fevereiro, que já eram recordes, foram mantidas.

Em contrapartida, houve cortes no Rio Grande do Sul, devido à falta de chuva no sul do estado, e no Paraná, onde o rápido avanço da colheita registrado na semana passada mostrou produtividades abaixo do esperado na região oeste, que teve chuvas acima do normal ao longo da safra.

Fonte: Revista Globo Rural e Canal Rural

Foto: Aprosoja-MS