Aumento de área plantada coloca MS entre os maiores produtores de grãos do País

Aumento de área plantada coloca MS entre os maiores produtores de grãos do País

Postado em: 16 de abril de 2019

Aumento de área plantada coloca MS entre os maiores produtores de grãos do País

Mato Grosso do Sul apresentou o maior aumento do País em área plantada com soja na safra 2018/2019. A cultura se expandiu para mais 280 mil hectares no Estado (+10,30%), elevando a área total para quase 3 milhões de hectares, o que contribuiu para manter o Estado entre os cinco maiores produtores de soja do Brasil (atrás apenas de Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Paraná e muito próximo a Goiás).

Os dados são do Programa SIGA-MS, o Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio implantado pela Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) em cooperação com a Aprosoja e a Famasul (Federação da Agricultura de Mato Grosso do Sul).

Trata-se de uma ferramenta construída com recursos do Fundems (Fundo para o Desenvolvimento das Culturas de Soja e Milho de Mato Grosso do Sul) e que reúne dados oficiais sobre a safra da soja e do milho no Estado. Esses dados, além de orientar os produtores, direciona as políticas públicas para o setor.

O secretário Jaime Verruck, da Semagro, observa que se não fossem problemas climáticos, o Estado teria mais uma supersafra. “Tivemos estiagem no fim do ano passado, principalmente em municípios grandes produtores do Sul do Estado, o que prejudicou a produtividade da soja. Porque a previsão era de colher 10 milhões de toneladas, contando com o aumento da área”, disse.  A produtividade da soja em Mato Grosso do Sul na safra 2017/2018 foi de 59,17 sacas por hectares.

Os técnicos trabalhavam com essa projeção para a safra passada, o que aliada ao aumento da área representaria um volume de 9,54 milhões de toneladas. Os dados finais mostram, entretanto, que a lavoura rendeu 48,11 sacas por hectares, em média, quebra justificada pela estiagem na fase em que a planta estava em desenvolvimento. Com isso o volume colhido ficou em 8,8 milhões de toneladas. Apesar disso, o rendimento deste ano ficou acima da média dos últimos cinco anos, que foi de 46,7 sacas por hectares.

Plantas daninhas, pragas e doenças na soja

As plantas daninhas com maior porcentagem de incidência nas propriedades visitadas pela equipe do Siga em Mato Grosso do Sul, foram o capim amargoso, buva e o picão preto. Em relação às pragas, percevejo marrom, vaquinha, percevejo barriga verde e lagarta falsa medideira apresentaram as maiores porcentagens, mas não causaram perdas significativas de produção.

Sobre as doenças que atacaram as plantas, o oídio, a antracnose e a mancha alvo representam as maiores porcentagens, mas a incidência no geral foi considerada baixa, não ultrapassando 3% para nenhuma das doenças identificadas.

Milho

O milho – cujo ciclo segue o da soja – também apresentou aumento de área. Passou de 1,81 milhões na safra 2017/2018 para 1,92 milhões na safra deste ano, que acabou de ser plantada. Uma variação de 5,73% que foi a segunda maior do País, atrás apenas do Mato Grosso e Paraná.

A melhor notícia é que esse aumento de área, aliado à promessa de boas condições climáticas, devem resultar numa elevação de 11,51% na produtividade média, que foi de 70,13 sacas por hectares na safra passada e pode chegar a 78,2 sc/ha na atual.

Desta forma, Mato Grosso do Sul projeta colher 9 milhões de toneladas de milho na safra 2018/2019 e retorna e volta a ser o terceiro maior produtor brasileiro do cereal, ultrapassando Goiás. Na frente de MS estão justamente os Estados que superaram também no aumento de área (MT e PR).

 Por: Assessoria de Comunicação Semagro com acréscimo de informações da Aprosoja/MS

Foto: Imagem de Charles Ricardo por Pixabay